Sara

 sara


Eu sou a Sara. Muito grata por me visitar!

As palavras sempre assumiram em mim o papel de um contador de histórias, reconduzindo-me a muitas possibilidades assentes na imaginação e na fantasia: as personagens transformavam-se em casos sérios, e todo o seu mundo tomava a medida dos meus sonhos. Quando menina, fizeram-me iniciar nos percursos simples que a vida comum evoca: as personagens tinham corpo de realidade, e toda essa existência ocupava o meu questionamento.

Quando jovem adulta, elas abraçaram outros conteúdos e formas, encaminhando-me para outros segmentos da vida prática. Quando adulta, elas seguiram a via da minha consciência, em consonância com a minha verdade e com a verdade que permeia o mundo, e todo o seu peso teve que ter peso ao assumir o seu efeito. As palavras têm consequências, se apreenderem a sua missão. Porém, é certo que elas só mobilizam quando os olhos que se detiverem nelas permitirem esse toque instigador.

sara-correiaTalvez, e apesar da presença lúcida do contador de histórias, eu tenha ficado submersa a tentar ouvir uma história silenciosa. Talvez eu não tenha permitido, na sua amplitude, esse toque instigador.

A criança esteve consciente, mas a adulta, numa curva servil da mente, perdeu-se na acção. Daí que tenha enveredado pelos estudos na área de marketing e publicidade. Nada de trágico, porque por natureza nada é definitivo, mas fora do alcance das palavras que o contador de histórias evocava. Contudo, todo o conhecimento serve propósitos, e esse tomou o seu lugar e a sua acção numa sala de aula, no ensino.

A um dado momento, numa mudança súbita de direcção, e num sopro de vida, senti que as minhas palavras deveriam ter forma e veículo. Assim, porque os desejos têm força, elas ganharam forma num jornal semanal, em formato de entrevistas, artigos, reportagens e pequenos contos que a minha imaginação narrava. Além disso, foi-me cedido um pequeno mas valioso espaço de opinião, livre e autónomo, reservado aos livros de ficção.

Cada direcção tem o seu tempo; nesta certeza, reencontrei-me novamente com a via do ensino. Durante muitos anos, com algumas paragens, tantas pessoas, tantas histórias, tantas vidas chegaram até mim, que sou hoje mais vida, mais história, mais verdade. Porventura, a curva servil da mente tenha servido um grande propósito, e o meu contador de histórias, no seu silêncio atento, tenha-me conduzido a ouvir a história certa.

Passado um longo tempo, num impulso consciente, encantei-me pela medicina natural. Um encanto que hibernava silencioso em mim há muito tempo. Por conseguinte, tudo me encaminhou para estudar Naturopatia no Instituto Português de Naturologia. Nesse momento, a mente não foi servil à mente mas à consciência. Se assim foi, de nenhuma forma posso afirmar que fiquei submersa a tentar ouvir uma história silenciosa; não! O meu contador de histórias foi suficientemente audível, e eu permiti o toque instigador.

As palavras haviam tomado um lugar único, e uma urgência alimentava o impulso.

 

EM BUSCA DA PALAVRA MÁGICA 


Ter um blogue pessoal edifica parte do impulso. Nesta verdade, gosto de sentir este espaço como uma casa confortável e segura, mas igualmente como um imenso deserto que contém em si todas as promessas da criação; assim como as palavras que tanto podem acordar o mágico como adormecer a fera. Acredito no primado da palavra, na sua tarefa de dar um significado ao mundo e de tornar mais alcançável a compreensão do nosso lugar na Vida, na Criação.

Sou marcada por aquilo que me interpela e me comove. Assim, as reflexões e visões que partilho tanto podem ser reveladas em histórias infanto-juvenis, como em histórias com um traço mais maduro, como em poesia, bem como em artigos com diferentes inspirações e aspirações, numa visão subjectiva e pessoal.

Contudo, há uma matriz que liga e unifica todos os textos: a Consciência.

O mundo, a título individual e global, necessita descobrir caminhos para cultivar o amor, a alegria, a paz. De alguma forma, espero contribuir para essa iniciativa desafiadora que procura despertar o auto-conhecimento, a sabedoria interna, e promover a unidade na diversidade, onde reside a beleza e a felicidade.

Assim, o meu objectivo é, na essência, inspirar-lhe a buscar o melhor lugar dentro de si em comunhão com o mundo.

Aqui, pretendo honrar o meu contador de histórias, colocando-me em busca da palavra mágica, aquela que transforma, instiga e mobiliza novas percepções e comportamentos alinhados com a Consciência.

Este é o sítio da palavra livre.

Novamente, muito grata por me visitar. Seja muito bem-vindo(a).

Sara Correia